Ensino bilingue

Ensino bilingue

Ensino bilingue: Imersão em língua adicional

Vila Valqueire recebe modelo inovador de ensino canadense bilíngue

Formato educacional está posicionado em primeiro lugar entre os países de língua inglesa no PISA

Foto: Divulgação

Creso Suerdieck

Pais que moram em Vila Valqueire e região, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e que desejam proporcionar uma experiência de imersão em um segundo idioma, já podem contar com um dos melhores modelos educacionais do mundo: o canadense.

A Maple Bear, rede com 157 escolas no Brasil, está ingressando no bairro, com vagas abertas para turmas de 2021, com foco em alunos a partir dos 18 meses até 5 anos. A escola inicia com a educação Infantil, mas irá expandir nos ciclos escolares conforme o crescimento contínuo. Em nível nacional, a rede tem mais de 25 mil alunos, nos ciclos Infantil, Fundamental e Médio.

O grande diferencial da empresa é seu modelo de ensino canadense, que está posicionado em primeiro lugar entre os países de língua inglesa no PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), exame realizado pela OCDE considerando avaliações envolvendo matemática, ciências e interpretação de texto. Este modelo é baseado em três pilares: bilinguismo por imersão, supervisão de educadores canadenses e programa acadêmico.

O curso promove uma verdadeira imersão do aluno, desde cedo, na língua adicional, ou seja, não se trata apenas de ensinar um outro idioma como adendo no contraturno ou inserido na grade como disciplina isolada.

Neste sistema, se reproduz a forma com que aprendemos a língua-mãe, inicialmente com um período de simples exposição ao idioma, para primeiro escutar e ir compreendendo as primeiras palavras, sons e entonações. Depois, paulatinamente, vem a questão da fala, com interações mais simples e, em seguida, com maior complexidade.

Neste cenário, a necessidade de falar e interagir com o meio e os colegas é o grande impulsionador da aprendizagem, contando também com o incentivo e orientação dos professores. Nas escolas da rede, até os 4 anos, 100% das interações e aulas são realizadas em inglês.

Com 5 anos é introduzida a língua materna em proporção 75% em inglês e 25% em português e, a partir dos 6 anos em diante (Ensino Fundamental), passa a ser 50% em inglês e 50% em português, com metodologia canadense alinhada às diretrizes curriculares brasileiras. De forma geral, os alunos costumam ter um inglês fluente já a partir dos 5 anos.

Na área acadêmica, o programa Maple Bear privilegia a observação, a resolução de problemas e a tomada de decisões, aplicando esse conceito a todas as disciplinas e áreas do conhecimento, como linguagem, matemática, ciência, tecnologia da informação, estudos sociais, música e artes.

Como parte disso, as salas de aula são amplas, estimulantes e acolhedoras, repletas de materiais manipulativos e centros de aprendizagem. O aluno é colocado como protagonista de seu aprendizado, desenvolvendo uma visão aplicada dos conhecimentos e maior autonomia no dia a dia.

Para garantir aderência a este modelo, experientes educadores canadenses visitam com frequência as escolas, oferecendo e garantindo a aplicação do programa acadêmico. Além do suporte, a empresa possui uma completa estrutura de treinamento e capacitação do corpo docente, acompanhamento próximo do ensino ministrado em cada sala de aula e um detalhado processo de certificação de qualidade.

Em 2020, devido à pandemia, a Maple Bear lançou ainda a Digital Learning Community, comunidade online de ensino que visa orientar alunos, pais e professores em suas atividades. A iniciativa abrange os ensinos Infantil, Fundamental e Médio, e inclui ferramentas digitais de interação, conteúdos exclusivos e atividades educacionais. Ou seja, mesmo à distância, as aulas continuam com um alto índice de engajamento.

Hoje, a marca conta com 14 escolas no Rio de Janeiro em operação, na capital, Teresópolis, Macaé e Niterói com cerca de 2 mil alunos, nos ensinos Infantil, Fundamental e Médio. Também há quatro em fase de implantação, em cidades como Campos dos Goytacazes, Itatiaia/Penedo e Nova Iguaçu, e duas inauguradas em 2021, no Rio de Janeiro – Gávea (Leblon) e a própria Vila Valqueire, que gerou 20 empregos diretos.

A operação está sendo comandada por Rodrigo Morais Serra de Souza. O proprietário atuou por anos em escolas de curso de idiomas e profissionalizantes, juntamente com a família.

“Verificamos que, em Vila Valqueire, não existe uma escola genuinamente bilíngue, por imersão, com uma metodologia diferenciada como a nossa. Além disso, sempre desejei investir em uma escola regular, pois tenho dois filhos e o modelo de ensino e a estrutura foram fatores que me agradaram bastante. Após muito trabalho e desafios com todo o cenário mundial e nacional, por conta da pandemia, finalmente conseguimos iniciar os atendimentos para reservas de vagas em outubro de 2020. Já notamos o interesse das famílias que moram na região, com 48 matrículas registradas até o momento. A nossa meta é reiniciar as aulas com, ao menos, 60 alunos. Inicialmente, a escola oferecerá quatro salas de aula, para crianças de 1 a 4 anos”, revela Rodrigo.

Para a retomada das aulas, em data ainda indefinida, uma das principais medidas foi iniciar com um número reduzido de salas ou com foco em determinada faixa etária, de acordo com as regras locais. Nas salas, é mantida uma distância entre os alunos e os espaços são mantidos arejados e com ventilação natural sempre que possível. Na área sanitária, é realizada a checagem de temperatura dos alunos, professores e colaboradores em sala reservada, além do uso de tapete capacho sanitizante para higienização dos calçados. Esse processo é feito com agilidade em uma fila organizada de forma a evitar aglomerações. A rede estipulou também que toda a comunidade escolar tenha uma roupa para uso na escola.

A limpeza está sendo intensificada em todas as escolas, seguindo um protocolo parecido com o dos hospitais, com o uso de produtos com álcool 70% e limpeza constante em todas as áreas.

A rede priorizou o uso de álcool em espuma, em gel ou borrifadores para uso das crianças. Para reforçar todos esses procedimentos, foram expostos nos principais ambientes da escola placas de sinalização para pais, alunos, colaboradores e visitantes.

Deixe uma resposta

*