Excessivo valor de honorários

Excessivo valor de honorários

Excessivo valor de honorários

Justiça nega administrador judicial de RJ da João Fortes Engenharia

‘Nova lei de recuperação judicial precisa criar uma segurança maior para o mercado’, afirma Creso Suerdieck

Fotos: Divulgação (Creso e João Fortes)

A Justiça acaba de dar uma trava no processo de recuperação judicial da João Fortes Engenharia.

Creso Suerdieck DouradoDona de uma dívida de R$ 1,5 bilhão, a construtora está desde maio em RJ, mas o desembargador Luciano Rinaldi, da 7ª Câmara Cível do TJ-RJ, acaba de suspender a decisão da 4ª Vara Empresarial do TJ que nomeou a empresa Preserva-Ação, do advogado Bruno Rezende, para exercer a função de administrador judicial.

Rezende receberia honorários de R$ 9,7 milhões para a tarefa. Rinaldi atendeu a um pedido do MP do Rio que avalia excessivo o valor dos honorários. O MP sugere que Rezende receba pelo serviço R$ 1,9 milhão.

De acordo com o especialista em recuperações judiciais Creso Suerdieck, a lei atual de recuperações judiciais e falências (a nova lei está aguardando a sanção do presidente Jair Bolsonaro) tem muito a melhorar.

“Ela precisa criar uma segurança maior para o mercado. Existem varas especializadas que julgam a recuperação judicial e o juiz possui o conhecimento total do processo pelo qual a empresa está passando.

Quando desembargador toma este tipo de decisão, coloca em risco todo o plano de recuperação da empresa. Esta, por sua vez, consequentemente, deixa o mercado extremamente inseguro, como fornecedores e possíveis investidores”, acredita.

 

Deixe uma resposta

*