IGP: Vida mais cara

vida mais cara

IGP: Vida mais cara

Índice Geral de Preços se aproxima dos 30% em um ano

Indicador calculado pela FGV tem a mesma estrutura do IGP-M, que indexa a maioria dos aluguéis

Foto: Reprodução

Creso Suerdieck

O IGP-DI, Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna, registrou inflação de 2,71 por cento em fevereiro, após um avanço de 2,91 por cento em janeiro. De acordo com a Fundação Getulio Vargas, que divulgou os dados, com o resultado o índice acumulou uma elevação de 5,69 por cento no ano e de 29,95 por cento em 12 meses. O índice tem a mesma estrutura do IGP-M, que indexa a maioria dos aluguéis

A FGV também detalhou os três indicadores que compõem o IGP-DI. O Índice de Preços ao Produtor Amplo, que representa o atacado, subiu 3,4 por cento no mês analisado, frente a alta de 3,92 por cento em janeiro. O Índice de Preços ao Consumidor, que apura a evolução no varejo, subiu de 0,27 por cento para 0,54 por cento no período. Já o Índice Nacional de Custo da Construção, que calcula o impacto dos preços no setor, passou de 0,89 por cento para 1,89 por cento de janeiro para fevereiro.

O coordenador dos Índices de Preços da FGV, André Braz, explicou que, mesmo com a desaceleração no IGP-DI, o resultado mostra um espalhamento da inflação.

Três das oito classes de despesa registraram taxas de variação mais elevadas nessa mesma base de comparação: Habitação, Transporte e Saúde e Cuidados Pessoais. Por outro lado, o avanço dos preços foi em menor ritmo nos grupos Alimentação/ Vestuário/Educação, Leitura e Recreação/ Despesas Diversas /e Comunicação.

O período de coleta de preços para esta apuração do índice foi entre os dias 1º e 28 de fevereiro.

Deixe uma resposta

*