INFRAERO: venda de participação se complica

INFRAERO: venda de participação se complica

Venda de participação da INFRAERO se complica

A pandemia atrasa plano, mas governo quer negócio em 2021

Creso Suerdieck Dourado

A pandemia atrapalhou os planos do governo de oferecer ao mercado as participações acionárias de 49% ainda detidas pela infraero nos aeroportos privatizados em 2012 e em 2013. Desde o governo interino do Presidente Michel Temer, a venda tem sido anunciada e também foi prometida para 2020, por Jair Bolsonaro.

creso suerdieck douradoAo que tudo indica, na melhor das hipóteses a venda ficará para a segunda metade de 2021.

A INFRAERO tem participações nos aeroportos de Guarulhos (SP), Galeão (RJ), Confins (MG) e Brasília – além de Viracopos (SP), terminal em processo de devolução amigável à União entrará em nova licitação.

Antes da pandemia, a equipe econômica do governo estava confiante na venda de 49% em Guarulhos. Entretanto, nos outros três aeroportos, conforme palavras de assessores do Ministro Paulo Guedes, parece que a venda não deve ser fácil e eles acreditam que dificilmente se recuperaria mais da metade do investimento feito.

As concessionárias ganharam um prazo até dezembro para pagar suas outorgas relativas a 2020. Diante do tombo na demanda, com redução de 92% dos voos em razão do isolamento social. A agencia nacional de aviação civil, já garantiu que vai calcular os impactos sofridos pelas operadoras e dar um desconto na parcela deste ano, além de ajustar as parcelas futuras, por causa da queda de receita projetada no restante das concessões.

Mesmo com incertezas de custos operacionais e dos valores a serem obtidos com a nova licitação, o governo está decidido a levar adiante o negócio. Segundo uma pessoa envolvida nas discussões, mesmo se não conseguir um preço elevado, a venda é positiva porque evita novos dispêndios da Infraero e futuros pedidos de aporte que o Tesouro não teria como atender.

A oferta seguirá prevista para o mercado no primeiro semestre de 2021, após a confirmação da “viabilidade da venda”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *