Joalheria virtual

Joalheria virtual

Joalheria virtual

Empresária carioca se reinventa durante a pandemia

Alessandra Trautmann procura forças para superar perda do pai, morto pela Covid-19

Foto: Divulgação

Bom gosto, talento, determinação e Deus. Essa é a fórmula do sucesso da empresária Alessandra Trautmann, 50 anos, 23 deles dedicados ao mundo das joias. Nascida no Rio de Janeiro, ela convive com as vendas desde pequena.

Seu pai, o empresário Sérgio Antônio Pereira Coelho, vendia as famosas enciclopédias Barsa, de porta em porta. E, de vendedor, tornou-se o fundador da Editora Sagres, sediada na Rua México (Centro do RJ), empresa que geriu por 25 anos. Até que, em um dado momento, decidiu deixar a editora e se dedicar a outra paixão: o ouro.

Tornou-se, então, ourives e passou a comercializar joias. Ramo para o qual convidou a filha a atuar e em que trabalhou até os últimos dias de sua vida (tirada em setembro passado, aos 79 anos, em decorrência do coronavírus). Mas seu legado e garra permanecem nas lembranças e, por isso, Alessandra prossegue. “Meu pai era um visionário e foi um exemplo para todos nós. Por isso, apesar da dor imensa e da saudade avassaladora, vou seguir, porque sei que era o que ele esperava, já que sempre confiou em mim”, diz, emocionada.

E assim ela segue com foco e muita fé. Sua força de venda, antes em contato com os clientes na chamada venda direta, hoje está na internet e nas redes sociais. Até aí tudo bem, porque, com a pandemia, esses são os canais comuns a todos. Mas o diferencial da Trautmann Joias está no produto que entrega.

Todos os produtos, segundo a empresária, são confeccionadas com pedras naturais, de cores e formas diferentes, o que confere às peças um ar de exclusividade. “Gosto que minhas clientes comprem o que eu gostaria de comprar e usem o que eu gostaria de usar. Isso me motiva e me faz bem. Fazer com que se sintam valorizadas e únicas é nosso objetivo, nosso diferencial”, diz ela, ao ressaltar que procura vender o que, realmente tem em estoque, outro ponto positivo para a marca.

“Como trabalhamos com internet, procuramos atender nossos clientes com o máximo de celeridade. Por isso, tudo o que postamos, temos em estoque. Nada melhor do que receber o que se comprou dentro do prazo. Afinal, quando adquirimos, criamos expectativas sobre a compra e queremos recebê-la logo. Nós fazemos isso”.

O nome da marca também tem um significado muito especial para Alessandra. Trata-se do sobrenome e uma homenagem ao marido, Sérgio Murilo Trautmann, com quem é casada há 24 anos, e ao sogro, Walter Trautmann, que, segundo ela, sempre foram homens visionários e trabalhadores, como seu pai. “Nome é identidade e eu me identifico muito com esses homens, que sempre estiveram à frente do seu tempo, trabalhando e buscando, com seriedade, integridade e amor, construir algo que pudesse gerar frutos permanentes. Vendemos mais que joias: alegrias, realizações e sonhos”, conclui.

Creso Suerdieck

Deixe uma resposta

*