Na crise aprenda: mar calmo nunca fez bom marinheiro

Há algum tempo venho amadurecendo criar um blog de economia, que seja um canal de divulgação das minhas ideias e notícias de última mão, ligadas ao mercado econômico.

O grande diferencial deste canal, é que será canalizado com notícias que possam ajudar ao empresariado brasileiro a lidar com as diversidades do mercado, as dificuldades e suas crises.

Não poderíamos ter um momento mais oportuno, como o que estamos enfrentando, para criarmos uma rede de informações que possam beneficiar aqueles que fazem a diferença no nosso país.

Para iniciar, vou lembrar dos meus tempos de criança, pois cresci ouvindo meu pai e maior ídolo dizer: “que estávamos em crise e tudo estava difícil”! Passados 46 anos, vi muita gente ganhar dinheiro e perder dinheiro. Assim, aprendi que na verdade, o dinheiro muda de mãos e que não existe melhor período para que isso ocorra, que não seja durante as crises.

A diferença da crise que vivenciamos hoje, para todas as outras que passamos, talvez seja a motivação: uma pandemia. E, não um crash na bolsa de valores que cria um efeito cascata ao redor do mundo.

Embora numa mesa de negociações sempre tenham dois lados, agora a distância entre os lados diminuiu. Enxergamos que não adianta ter qualquer tipo de negócio, se não tivermos clientes.

O que é vender se não existe comprador? Será que conseguiríamos voltar aos tempos pré históricos do escambo?

Agora é hora de se reinventar, de entender que a evolução do negócio pode estar no universo virtual, que vinha sendo tocado de forma mais tranquila, porém, sua importância precisa ser revista e antecipada.

Lembro-me dos bancos ortodoxos, que sempre enaltecem a figura do gerente para manter a conta daquele “Senhorzinho”, que mesmo usufruindo de diversos benefícios para suas transações, sempre terá a necessidade de ir à agência e ter aquela conversa com quem cuida da sua conta. Observamos, que a classe mais afetada foi justamente a dos mais idosos, que foram obrigados a entender como utilizar os aplicativos, para que sua sobrevivência fosse possível.

Portanto é hora de se reinventar, de entender o seu negócio e buscar naquilo que você mais entende: Alternativas!

Ninguém vai deixar de consumir. Tenha em mente que seu negócio vai ter que recomeçar e recomeçar de forma diferente.

Oportunidades virão, o dinheiro trocará mais uma vez de mãos, mas o mundo vai passar por mais essa crise e pela primeira vez percebemos que não existem lados, não existe vencedor ou perdedor. Quando o Titanic afundou ele levou para águas profundas quem estava na primeira e na última classe, estamos no mesmo barco.

Mais à frente, darei dicas e ideias de como gerir seu passivo, e através do e-mail, você poderá enviar suas perguntas e sugestões. Esse canal de comunicação foi feito para atender quem busca solução no meio da turbulência, conte com a gente.

Vamos que vamos, rumo ao novo mundo!

Creso Suerdieck Dourado

2 comentários em “Na crise aprenda: mar calmo nunca fez bom marinheiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *