Transformação digital

Transformação digital

Transformação digital

Crescimento do mercado online global gera oportunidades para empresas brasileiras

Apesar do Real desvalorizado, setor de tecnologia do Brasil se torna mais competitivo no cenário internacional

Foto: Divulgação

Creso Suerdieck

A pandemia obrigou muitas empresas do varejo tradicional a recorrer aos canais digitais para atender as demandas da nova economia pandêmica.

Já é um assunto recorrente que esse cenário de distanciamento social acelerou o processo de transformação digital das organizações. Mesmo as marcas que já tinham presença online precisaram se reorganizar para conseguir atender uma demanda que cresceu exponencialmente em poucos meses.

Assim, os produtores, varejistas e industriais passaram a demandar de empresas especializadas serviços que pudessem potencializar seus resultados e operações online. Este cenário se repete globalmente e não tem previsão de diminuição nessa velocidade de adoção ao digital.

Creso Suerdieck DouradoDe acordo com o empresário Creso Suerdieck, trata-se de um processo normal de movimentação de mercado. “Essa pandemia só fez acelerar esta questão, que já estava crescendo no mundo dos negócios “, avalia.

Esse cenário, aliado à forte queda do real em relação ao dólar, derrubou o investimento relativo que empresas da Europa e EUA teriam que aportar para contratar serviços de empresas brasileiras.

Funciona assim: com o real desvalorizado, se um orçamento for fechado em dólares, empresas brasileiras conseguem atender e desenvolver esses ativos digitais por preços abaixo do mercado internacional, sem abrir mão da qualidade.

A ACCT Consulting and Technology, empresa de desenvolvimento de software, especializada em implementação, operação e evolução de projetos de e-commerce, foi uma delas.

Sediada em Atibaia, São Paulo, a ACCT conta com modelo de trabalho remoto que tem favorecido novas oportunidades de trabalho.

Com ritmo acelerado de admissão, mesmo com a pandemia, a empresa superou sua expectativa de contratações em 2020 no Brasil. “Tínhamos uma meta de contratação de 120 pessoas para 2020 e fechamos o ano com 198 colaboradores”, conta Frederico Heitmann, CEO da ACCT.

Diante de uma demanda tão numerosa, o processo de aceleração do crescimento da empresa previsto para a pré-pandemia não cessou. A ACCT abriu, em 2020, um escritório em Nova York, nos Estados Unidos, com o objetivo de solidificar sua posição na América do Norte.

A indústria de software e tecnologia já conta com um escritório em Barcelona, na Espanha, desde 2019 e ainda tem projetos de expansão para outros países da América Latina e do Leste Europeu.

A proposta de expansão internacional da empresa tem como objetivo oferecer a estes países tecnologia e engenharia de software brasileiros, pois apesar de ter projetos em diversos países, toda a parte de arquitetura, engenharia e produção de software continua sendo no Brasil, como conta Heitmann.

“Nosso primeiro movimento em 2020 foi focar e ampliar o nosso relacionamento com parceiros e novos negócios, tanto em Nova York como em Barcelona, com a figura do Gerente Geral. Nosso objetivo agora, no segundo semestre, é ampliar os times com a contratação de profissionais de gestão de projetos para que estes escritórios se tornem autônomos no atendimento”, explica o empresário.

Para 2021 a expectativa é a abertura de mais dois escritórios. “Queremos aproveitar o potencial na América Latina para ter ali um centro de distribuição de projetos digitais… não só para a região, mas para o mundo”, afirma Heitmann.

Já o objetivo do escritório do leste europeu é explorar sua posição geográfica, que permite o atendimento em diversos fusos horários.

“Quando se atende grandes empresas globais em diversos países é natural a demanda por atendimento em horários distintos. Um delivery center no leste europeu terá a capacidade não só de dar suporte, mas também de atender projetos em fusos diferentes.

E com todos esses movimentos, a gente vai posicionando a ACCT como uma empresa de consultoria e tecnologia global”, finaliza Frederico.

Deixe uma resposta

*