Veículos usados: a tendência

Veículos usados- a tendência

Veículos usados: a tendência

Procura por veículos usados cresce durante a pandemia

Setor fechou 2020 com aumento 13,1% sobre novembro

Foto: Divulgação

Creso Suerdieck Dourado

O mercado de carros usados fechou 2020 com um resultado satisfatório para os revendedores, apesar das dificuldades durante a pandemia. Enquanto as vendas de carros e veículos comerciais leves 0K caíram 26,7% no ano passado, as vendas de usados caíram só 13,7%. Em relação ao mercado total de veículos , segundo a Fenauto, o setor de usados fechou o ano com aumento 13,1% sobre novembro e 23,6% sobre dezembro de 2019.

A pandemia de coronavírus trouxe a necessidade de isolamento social e fechou inúmeras fronteiras. Com isso, além do mercado automotivo, outro setor também atingido foi o do turismo. E esse cenário pode trazer uma mudança no comportamento dos consumidores pós-pandemia. Segundo especialistas, as viagens mais curtas e de carro devem encabeçar as escolhas.

Viagem com segurança na pandemia vai além do uso do cinto. Usar a máscara dentro do carro é necessário. Os médicos também recomendam desligar o ar-condicionado e manter os vídeos abertos, além de muito cuidado com as paradas ao longo do caminho.

Rafael Figueiredo, CEO da Pajé Amortecedores, ressaltou que o maior cuidado é com a manutenção do carro. Antes de usar o carro novamente, é importante a manutenção preventiva e a revisão. Segundo ele, mesmo com todos esses cuidados, é grande a probabilidade de que algum componente esteja com certo desgaste.

Parte fundamental do sistema de suspensão, os amortecedores são os responsáveis por controlarem o sobe e desce das molas ao trafegar por lombadas, depressões, buracos ou irregularidades na pista e por manterem a estabilidade do veículo em curvas.

Considerando o aumento na procura por veículos usados, a nova tendência do turismo em viagens de carro e a necessidade de manutenção do veículo, principalmente dos amortecedores, que são uma peça tão importante, por que não torná-la reutilizável, reciclável e ecológica, com menor custo e maior garantia?

Rafael Figueiredo lembra que a procura pelos amortecedores remanufaturados e sustentáveis cresceu 5,34%. Ele acrescenta que isso se deve ao menor custo de manutenção para o consumidor. Sem falar na preocupação com o meio ambiente. Todo o óleo lubrificante, usado ou contaminado, passou a ser recolhido, coletado e com destino final, de modo a não afetar negativamente o meio ambiente.

“A prática de “reduzir”, “reutilizar” e “reciclar” contribui para a sustentabilidade global. Além disso, o remanufaturado é também uma forma mais barata e confiável para a manutenção do veículo, podendo gerar uma economia de até 40% para o usuário”, analisou o empresário.

 

Deixe uma resposta

*